17 de julho de 2012

Resenha: ‘A Filha da minha Mãe e Eu’ da @Novo_Conceito

Mais uma obra prima da Editora Novo Conceito para vocês!!

capa_ a filha da minha me e eu.indd
A Filha da minha Mãe e Eu 
Autora: Maria Fernanda Guerreiro
ISBN: 9788563219152
Editora: Novo Conceito
Selo: Jovem
Ano: 2012 Número de páginas: 256
Assuntos: Drama/Ficção

Sinopse:
Sensível e tão real a ponto de fazer você se sentir parte da família, A filha da minha mãe e eu conta a história do difícil relacionamento entre Helena e sua filha, Mariana.
A história começa quando Mariana descobre que está grávida e se dá conta de que, antes de se tornar mãe, é preciso rever seu papel como filha, tentar compreender o de Helena e, principalmente, perdoar a ambas.
Inicia-se, então, uma revisão do passado – processo doloroso, mas imensamente revelador, pautado por situações comoventes, personagens complexos e pequenas verdades que contêm a história de cada um.


O livro de estreia da autora Maria Fernanda Guerreiro me surpreendeu. Ao recebê-lo para resenhar, sinceramente, não acreditei que me interessaria pela história como me interessei, tanto que conclui a leitura em apenas 2 dias!
O livro é muito instigante, mesmo tratando de um assunto tão delicado como o relacionamento entre mães e filhas.
A história do livro se inicia quando Mariana ao descobrir que está grávida, resolve fazer uma análise de seu passado e principalmente de seu relacionamento com sua mãe Helena.

“Quando vi as duas listras azuis no teste de gravidez, tive uma certeza: preciso me sentir filha antes de me tornar mãe. Porque uma parte da minha alegria era inventada e, a outra, não era minha.” - pág.07

A narrativa da história se dá em primeira pessoa, o que faz o livro lembrar um diário e com isso, nos tornamos mais íntimos de Mariana compartilhamos com ela suas experiências e expectativa contadas com detalhes desde a infância, passando pela adolescência, juventude até sua vida adulta. Essa proximidade ajuda a nos identificar não só com a personagem principal e sua mãe, mas também com toda a sua família.
A família de Mariana é bem comum, composta pelo pai Tito, amável com os filhos, porém, às vezes flexível demais; a mãe Helena, autoritária, distante, contudo superprotetora, que teve uma infância difícil o que se reflete no seu relacionamento com os filhos; o irmão Gustavo, que sempre foi superprotegido pela mãe; completando a família: avós paternos Dom Ramón e Lola e a tia Maria João. Uma família que passa por altos e baixos, mas que permanece junta enfrentando os desafios impostos pela vida.
A difícil convivência entre mãe e filha faz com que Mariana crie uma ficção. Para poder se relacionar com sua mãe ela se distancia do que realmente é e tenta inventar a filha que agradaria Helena. Isso cria um abismo no relacionamento mãe e filha, que faz com que a personagem atravesse momentos difíceis, praticamente sozinha; na sua busca pela felicidade, ela se divide em tentar se igualar a sua mãe e ao mesmo tempo ser o mais diferente possível.


“Passei boa parte da minha vida alternando entre querer ser igual a minha mãe ou ser tudo o que ela não era. Mas, o curioso é que em ambos os casos, a referência era a mesma. Até quando eu queria ser completamente diferente dela, era nela em quem me espelhava”. - pág. 203.
Uma grande lição aprendida neste livro é que todos nós somos diferentes, cada qual traçou um caminho, viveu uma experiência, teve a sua impressão da vida, no entanto, não podemos impor uma mudança ao outro para que este passe a nos agradar, e nem deixar para falar depois o que é necessário ser dito. Se quisermos nos relacionar com alguém o melhor é aceitar o outro como ele é e encurtar o caminho para a felicidade.
Um livro que trata de temas polêmicos como homossexualidade, depressão, aborto, uso de drogas, abuso sexual, adoção, no entanto, em contra partida nos faz refletir muito sobre o poder de perdoar, conquistar, reconquistar, confiar e acima de tudo amar.
A publicação está ótima, o papel e a fonte utilizada facilitam a leitura.
A capa do livro nos remete ao aconchego do colo de mãe, aquele confortável lugar onde buscamos refúgio.
O livro nos faz rir e chorar além de viajar nesse mundo único que é o relacionamento entre mães e filhos.
Até a próxima. Beijos,




DSC08964[6]Clarice adora sua família e é mãe de três filhos lindos!Amiga da Math, está dando uma super força lendo
e compartilhando com vocês suas impressões sobre os livros!







5 comentários:

  1. Como sempre se superando!Temas assim são delicados, e podem cair na mesmice, que você destrói com suas palavras. Realmente fique com vontade de ler o livro!!! Abraços e PARABÉNS!!!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela resenha Cla! Estou lendo A Filha da Minha Mãe e Eu e apesar da temática bem forte, estou curtindo bastante. Beijos!

    http://www.newsnessa.com/

    ResponderExcluir
  3. Ola Clarice!
    Esse livro, pelas suas pelavras deve ser maravilhoso. O tema de família é sempre uma óptima escolha para ler.
    Beijinhos e parabéns pelo teu comentário!

    ResponderExcluir
  4. Eu recebi esse livro, mas não tenho tanto interesse nele. Vou ler ele e tirar minhas conclusões. O que me chamou a atenção foi a capa, eu achei ela simples e muito bonita.

    Beijos,
    Mandi - Book and Cupcake.

    ResponderExcluir
  5. Já li este livro é maravilhoso!!!!
    Gostei muito de como vc o descreveu sem contar seus segredos.
    Amei o blog.
    Parabéns meninas!!!!!

    ResponderExcluir

Destile seu veneno, comente!

Ou receba as atualizações no seu email:

Delivered by FeedBurner

Posts Recentes

Últimos Comentários

As envenenadas pela maçã Ѽ by TwilightGirls RJ Ѽ - Copyright © 2012 - Todos os Direitos Reservados